O "en-canto da sereia" na formação do tradutor e intérprete de Língua Brasileira de Sinais

uma questão de identidade entre mitos

Autores

  • Rute Leia Augusta da Silva Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Hiran Pinel Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

DOI:

https://doi.org/10.22560/reanec.v44i157.140

Resumo

O presente artigo tece um emaranhado de reflexões sobre a formação do profissional Tradutor e Interprete de Língua de Sinais-TILS. Objetiva-se compreender as práticas discursivas no processo de formação do TILS, especificando como se chega a ser um tradutor e intérprete, visto a problemática, qual seja a construção do “mito de facilidade” da prática tradutória que se dá de forma menos onerosa em relação à prática docente, por meio de formações básicas, rápidas e que culmina numa prática, muitas vezes descomprometida com a formação do sujeito surdo. Trazemos uma alusão aos en-cantos da sereia que se deixam seduzir por tais facilidades e sucumbem ao se aproximarem do universo tão complexo da Língua Brasileira de Sinais. A pesquisa envolve análise bibliográfica e processos de conversações com os profissionais TILS do município de Guarapari-ES, com a qual, por meio das diversas confissões, obtivemos a certeza de que é necessário o cuidado de si para as práticas-formativas deste profissional. Tecemos reflexões sobre o aborte histórico, amparos legais, processos formativos que resultou na conclusão de que se faz necessário à inserção de reflexões sobre o surdo e sua constituição, bem como do cuidado de si que o profissional deve ter em relação a sua prática-formativa cotidiana. O cuidado de si e do outro é um processo continuo, reflexivo, cotidiano, é um processo de vida, de deixar-se permitir a vida acontecer, com sentidos e significados para aqueles que têm na língua de sinais o contato com o mundo.

Biografia do Autor

Rute Leia Augusta da Silva, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Possui bacharelado Letras-Libras pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Licenciada em Pedagogia pela Faculdade de Educação da Serra (FASE). Graduada em Gestão de Recursos Humanos pelo Centro Universitário FAESA. Pós-graduada em Gestão Educacional e em Educação Especial e Inclusiva. Mestranda do Programa de Pós-graduação Educação (Educação Especial e Processos Inclusivos) pela UFES. Possui experiência nas seguintes áreas: gestão de pessoas (RH), Educação Básica (séries finais do Ensino Fundamental II), formação de professores, implementação, gestão e avaliação de ensino EAD e docência na Educação Superior. E-mail: silcra@hotmail.com

Hiran Pinel, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Professor titular da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Leciona, pesquisa e é extensionista na graduação presencial e a distância, mestrado, doutorado, especialização, supervisão de pós-doutorado. Tem pós-doutorado em Educação, focando no tema cinema e educação especial, pela Faculdade de Educação, da Universidade Federal de Minas Gerais (FAE/UFMG). É doutor em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (IP-USP). É mestre em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação da UFES. Graduado em Formação de Psicólogos. Bacharel em Psicologia. Licenciado em: Psicologia, Pedagogia, Filosofia, Biologia, Matemática. Tem experiência em administração/chefia do antigo Departamento de Fundamentos e Orientação Educacional (DFEOE) da UFES, de 7/3/2001 a 7/3/2002. Foi o primeiro subchefe do atual Departamento de Teorias do Ensino e Práticas Educacionais (DTEPE), de 1/4/2008 a 8/5/2008. Linhas de pesquisa que se envolve atualmente: educação especial e processos inclusivos. É coordenador do seguinte projeto guarda-chuva de pesquisa: “Aprendizagem (e desenvolvimento) humano sob a ótica fenomenológico-existencial: o ser-no-mundo da educação escolar e (não escolar) inclusiva, envolvidos em programas de Educação Especial, Pedagogia Social & Psicopedagogia”. Áreas de interesse em pesquisa, ensino e extensão: sob diversificados enfoques fenomenológicos existenciais, estuda a Educação Especial (escolar e não escolar), centrando predominantemente, mas não só, na Pedagogia Hospitalar dentro e fora do hospital, como nos domicílios, orfanatos, clínicas etc. E-mail: hiranpinel@gmail.com

Arquivos adicionais

Publicado

2018-12-05

Como Citar

da Silva, R. L. A., & Pinel, H. (2018). O "en-canto da sereia" na formação do tradutor e intérprete de Língua Brasileira de Sinais: uma questão de identidade entre mitos. Revista De Educação ANEC, 44(157), 132-149. https://doi.org/10.22560/reanec.v44i157.140