Educação básica e ensino médio à luz do cenário político brasileiro

Autores

  • Michelle Jordão Machado União Marista de Brasil (UMBRASIL) e Centro Universitário IESB
  • Divaneide Lira Lima Paixão Centro Universitário IESB e Centro Universitário de Desenvolvimento do Centro Oeste (UNIDESC).
  • Ricardo Spíndola Mariz Univeridade Católica de Brasília (UCB) e União Marista do Brasil (UMBRASIL)

DOI:

https://doi.org/10.22560/reanec.v40i153.20

Resumo

Este artigo busca contribuir para o debate acerca das reformas da educação brasileira e, especialmente, do ensino médio, assim como de seus principais desafios, abordando os princípios políticos, a complexidade e a dinâmica eleitoral que circunda as políticas de educação no país. Foram realizadas pesquisas bibliográficas e documentais capazes de subsidiar análises mais detalhadas sobre o novo ensino médio. Os resultados apontam para a educação como um espaço privilegiado de disputas político-partidárias, um campo cheio de descontinuidades, centradas na lógica eleitoral. A nova reforma do ensino médio, aprovada por meio de medida provisória, está inscrita nessa dinâmica e mantém lacunas muito evidentes, que não poderão ser preenchidas com as ações imediatistas das atuais políticas públicas. Conclui-se que o campo da educação não pode mais viver à mercê de soluções imediatistas, de reformas com fins eleitoreiros, sem reverberação na prática escolar e na aprendizagem dos estudantes. Nessa direção, o ensino médio não é o maior problema na educação brasileira, pois é somente revelador das deficiências de todo o sistema educacional brasileiro. É preciso superar com urgência o imediatismo sob a pena de o país, em pouco tempo, não ser mais capaz de dar o salto desejado e cumprir com sua responsabilidade de contribuir com os jovens no avanço humano, científico e social, oportunizando, assim, um futuro melhor para a nação brasileira.

Palavras-chave: Educação básica. Ensino médio. Políticas públicas. Cenário educacional brasileiro.

 

Basic Education and Secondary Education in Light of the Brazilian Political Scenario

 

Abstract: This article seeks to contribute to the debate within the Brazilian education reforms and, specially, the high school and its major challenges, addressing the political principles and the electoral complexity and dynamics that encircle the country’s education policies. It has been made reference to bibliographies and documents able to ensure the most detailed analyses about the new High School. The results point to the education as a privileged space of political-party disputes, with plenty of discontinuities, in a centered electoral logic. The new High School reform, approved by a Provisional Measure, is enrolled in the dynamic and contains highly evident gaps, that cannot be filled with the immediate actions of the public policies. It can be concluded that the education field cannot live any more by immediate solutions, by reforms with electoral purposes, nonetheless with out effects in the scholar practices and the students schooling. In this direction, the High School system is not our major problem in the Brazilian education, therefore it just reveals the deficiencies of the entire Brazilian education system. Immediacy must be overcome urgently, otherwise the country will soon be no longer able to make the necessary leap and fulfill its responsibility to contribute to young people, to their human development, social and scientific, thus providing a better future to Brazilian nation.

Keywords: Basic education. High school. Education policies. Brazilian educational scenario.

 

Educación básica y bachillerato a la luz del escenario político brasileño

 

Resumen: Este artículo busca contribuir para el debate sobre las reformas de la educación brasileña, especialmente, de la Enseñanza Media y sus principales desafíos; tratando los principios políticos, la complejidad y la dinámica electoral que envuelven las políticas de educación en el país. Se realizaron análisis bibliográficos y documentales que subsidiaron una investigación más precisa acerca de la nueva Enseñanza Media. Los resultados destacan la educación como un espacio privilegiado de disputas políticas entre partidos, un campo lleno de discontinuidades, centradas en la lógica electoral. La nueva reforma de la Enseñanza Media, aprobada por medida provisional, está inscrita en esa dinámica y mantiene lagunas muy evidentes, que no se podrán resolver con las acciones inmediatistas de las actuales políticas públicas. Se concluye que el campo de la educación no puede más seguir dependiendo de soluciones de corto plazo, de reformas con fines electorales que no repercuten en la práctica escolar ni en el aprendizaje de los estudiantes. En esta perspectiva, la Enseñanza Media no es nuestro mayor problema en la educación brasileña, puesto que solo revela las deficiencias de todo el sistema educativo en Brasil. Es preciso superar con urgencia el inmediatismo, bajo pena de que el país, en poco tiempo, no sea ya capaz de dar el salto deseado para cumplir con su responsabilidad de contribuir, con los jóvenes, al avance humano, científico y social que asegure un futuro mejor para la nación brasileña.

Palabras clave: Educación básica. Enseñanza media. Políticas públicas. Escenario educativo brasileño.

Biografia do Autor

Michelle Jordão Machado, União Marista de Brasil (UMBRASIL) e Centro Universitário IESB

Doutorado e Mestrado em Educação pela Universidade Católica de Brasília (UCB). Pós-graduada em Psicopedagogia pelas Faculdades Simonsen/RJ. Licenciada em Letras e Pedagogia (Administração Escolar) pela UCB. Assessora das áreas de Educação Básica e Superior da União Marista do Brasil (UMBRASIL). Professora e coordenadora de cursos de pós-graduação lato sensu no Centro Universitário IESB. E-mail: michellejm@gmail.com

Divaneide Lira Lima Paixão, Centro Universitário IESB e Centro Universitário de Desenvolvimento do Centro Oeste (UNIDESC).

Doutorado em Psicologia pela Universidade de Brasília (UnB), com tese na área de Psicologia Social. Mestrado em Psicologia pela Universidade Católica de Brasília (UCB). Graduação em Pedagogia (Orientação Educacional) pela UnB. Membro do Centro Internacional de Pesquisa em Representações e Psicologia Social Serge Moscovici. Pesquisadora na área de Representações Sociais, Educação, Juventude e Direitos Humanos. Professora da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal e de cursos de pós-graduaçao lato sensu no Centro Universitário IESB e no Centro Universitário de Desenvolvimento do Centro Oeste (UNIDESC). E-mail: divatabira@gmail.com

Ricardo Spíndola Mariz, Univeridade Católica de Brasília (UCB) e União Marista do Brasil (UMBRASIL)

Doutorado em Sociologia pela Universidade de Brasília (UnB). Mestrado em Educação. Graduado em Pedagogia. Pesquisador e professor do Programa de Mestrado de Gestão do Conhecimento e Tecnologias da Informação e do Programa de Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Católica de Brasília (UCB). Coordenador das Áreas de Missão e de Gestão da União Marista do Brasil (UMBRASIL). E-mail: marisricardo@gmail.com

Arquivos adicionais

Publicado

2017-06-01

Como Citar

Machado, M. J., Paixão, D. L. L., & Mariz, R. S. (2017). Educação básica e ensino médio à luz do cenário político brasileiro. Revista De Educação ANEC, 40(153), 85-101. https://doi.org/10.22560/reanec.v40i153.20