Dos navios negreiros para a sala de aula em escolas religiosas

candomblé, uma religião de festa, culto e resistência

  • Diego Andrade de Jesus Lelis Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Palavras-chave: Religiões africanas. Ensino. Candomblé.

Resumo

A religião é parte constituinte do arcabouço social, cultural e espiritual de um povo. Cada nação, a partir de suas necessidades e crenças, desenvolve um modo de se comunicar com suas divindades e, como valor, carrega consigo essa identidade religiosa. Assim, não foi diferente com os seres humanos que, escravizados no continente africano, foram trazidos, forçadamente, para terras brasileiras. Contudo, em um país marcado
pelo cristianismo, a manutenção de outra cultura religiosa não ocorreu com tanta tranquilidade ao longo da história. Se religiões africanas e de matriz afro-brasileira foram deixadas sempre à margem, pouco a pouco elas vêm, com muito esforço, ganhando espaço no meio acadêmico e escolar. Por isso, tem-se como objetivo para este trabalho apresentar, ainda que de forma panorâmica, os caminhos percorridos pela cultura e
religiões, em especial o candomblé, desde os navios negreiros até as escolas, bem como promover a reflexão sobre a sua inserção como meio de formação da pessoa humana. Para alcançar tais objetivos, foi realizada uma revisão bibliográfica em livros e artigos disponíveis em meios eletrônicos e em acervo pessoal referente às temáticas que tratam sobre as religiões de matrizes africana, sua história, concepção teológica, organização ritual.
e inserção nos programas de ensino da Educação Básica no Brasil. Assim, por meio
da análise de vários autores, como Edgar Morin, Miguel Arroyo, Oder J. dos Santos,
Milton Santos e Mauro Meirelles, discute-se sobre a necessidade de a escola estar cada
vez mais atenta em responder à parcimônia do ser humano diante da realidade daqueles
que saem das margens sociais e começam a reivindicar o seu lugar de direito na história.

Biografia do Autor

Diego Andrade de Jesus Lelis, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Licenciado em Geografia pelo Centro Universitário Claretiano-CEUCLAR e em Filosofia pelo Instituto Santo Tomás de Aquino-ISTA. Especialista em Geografia, História e Sustentabilidade; em Tutoria em Educação a Distância e EJA; e em  Educação Especial e Ensino Religioso pela Faculdade Futura. Mestrando em Educação e Complexidade na Pontifícia Universidade Católica do Paraná, PUC/PR, Brasil; Bacharelando em Teologia no Centro Universitário Claretiano-CEUCLAR. Atua como ministrante em palestras e cursos com temas referentes a espiritualidade e transcendência, a pessoa humana e a empatia. Esteve nos anos de 2016 como missionário em aldeias Indígenas em Luciara-MT e em 2017 em Internatos Educacionais Confessionais na Bolívia pelo período de 10 meses. Possui vasta experiência com monitoria e acompanhamento de grupos de crianças, jovens e adolescentes, bem como explanação e organização de eventos para tal público. Atuou como docente nas séries iniciais do ensino fundamental.

Publicado
2019-10-01
Como Citar
Andrade de Jesus Lelis, D. (2019). Dos navios negreiros para a sala de aula em escolas religiosas: candomblé, uma religião de festa, culto e resistência. Revista De Educação ANEC, 46(159), 111-121. https://doi.org/10.22560/reanec.v46i159.209