Entre narcisismos e personalismos

a defesa do humanismo solidário na contemporaneidade

Autores

  • ANDERSON MENEZES UFAL

DOI:

https://doi.org/10.22560/reanec.v48i161.313

Resumo

Este artigo tem o objetivo de discutir sobre as patologias sociais no âmbito da
contemporaneidade que se revelam como distintos narcisismos e propor o personalismo como caminho fundamental para a concretização do humanismo integral. Para essa
finalidade, servimo-nos de algumas bases epistemológicas da teoria crí­tica, do personalismo, da sociologia contemporânea, como Jürgen Habermas (2018), Axel Honneth
(2009), Zygmunt Bauman e Leonidas Donskis (2014), Emmanuel Mounier (2004) e o
Papa Francisco na sua renomada Encí­clica Laudato Si"™, para citar os principais, com o
intuito de diagnosticar os principais sintomas da crise contemporânea e esboçar uma
saí­da a partir do humanismo integral e solidário. A metodologia utilizada norteia-se por
uma pesquisa qualitativa de cunho bibliográfico, de um estudo acurado das fontes, e os
resultados mais salientes estão no diagnóstico de que vivemos em sociedades marcadas
por patologias sociais que se refletem em profundas feridas narcí­sicas, cujo antí­doto
principal é o resgate urgente de uma Ecologia Integral e humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

ANDERSON MENEZES, UFAL

Licenciado em Filosofia pela Universidade Católica de Pernambuco. Bacharel em Teologia pelo Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL), campus Pio XI. Mestre
em Filosofia pela Universidade Federal de Pernambuco. Doutor em Ciências da Educação pela Universidade do Porto/Portugal. Pós-doutorando em Ciências da Linguagem
pela Universidade Católica de Pernambuco e pela Universidade de Valência/Espanha.

Downloads

Publicado

2020-10-19