O espaço-tempo das festas na interação e na construção da identidade das juventudes

Autores

  • James Pinheiro Santos ANEC
  • Vanildes Gonçalves dos Santos
  • José Ivaldo Araujo de Lucena

DOI:

https://doi.org/10.22560/reanec.v50i163.342

Resumo

Estudo sobre a contribuição do espaço-tempo das festas como lazer no processo de interação e construção da identidade de adolescentes e jovens. Foram utilizadas como metodologia a revisão bibliográfica sobre o tema e a pesquisa qualitativa com esse público específico, de realidades socioculturais diferentes, além da análise dos dados recolhidos, confrontando-os com as leituras bibliográficas. O trabalho
retoma as festas como celebração da vida e manifestação lúdica para as pessoas, em especial o público juvenil; aprofunda o sentido do lazer como espaço de socialização; reflete sobre a interação no lazer e nas festas como perspectiva primordial para a
construção da identidade de adolescentes e jovens; analisa a percepção desse público
sobre a contribuição dessas questões em suas vidas. Portanto, mesmo esta pesquisa sendo ainda singular, é necessário cada vez mais aprofundar o estudo sobre essa questão da festa e do lazer como espaço-tempo de interação e construção da identidade
dos adolescentes e jovens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

James Pinheiro Santos, ANEC

Graduado em Serviço Social pela Universidade Potiguar (UnP) (2010). Licenciado em Pedagogia pela Faculdade Mauá/DF (2017). Especialista em Adolescência e Juventude pela Universidade Católica de Brasília (UCB) (2015). Pós-graduado em Docência do Ensino Superior na Faculdades Integradas de Várzea Grande/FIAVEC (2016). Mestre em Educação na UCB.

Vanildes Gonçalves dos Santos

Graduada em História pela Uniana, atual Universidade Estadual de Goiás (1998). Pós-graduada (lato sensu) em Juventude Contemporânea pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos
(UNISINOS) (2005). Mestre em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São
Paulo (PUC-SP) (2009). Professora da Universidade Católica de Brasília (UCB), na modalidade
de educação a distância e na modalidade presencial. Assessora do Núcleo de Formação Geral
da UCB. Assistente da Secretaria Executiva da Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade da UCB. Membro dos grupos de pesquisa: Juventude, Educação e Sociedade, da UCB, e Condição Juvenil em Goiás (UFG/UEG/PUC/GO) e Cajueiro. Tem experiência de trabalho com adolescência e juventude. Ex-bolsista do Programa Internacional de Bolsas da Fundação Ford (2007 e 2008).

José Ivaldo Araujo de Lucena

Graduado em Pedagogia com habilitação em Gestão Educacional. Pós-graduado em Ensino Religioso e Direitos Humanos. Mestre em Educação pela Universidade Católica de Brasília (UCB), na área de concentração Política e Administração Escolar. Um dos fundadores e associado do Centro Popular de Formação da Juventude - Vida e Juventude (www.vidaejuventude.org.br), associação sem fins lucrativos e OSCIP, no qual atua também como voluntário na elaboração, execução e gestão de projetos sociais. Atualmente, é professor na UCB, lecionando na graduação em Pedagogia, na disciplina de Planejamento e Avaliação nas Relações de Ensino e Aprendizagem e de Política e Gestão da Educação Básica. Atua também como secretário executivo da Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade da UCB e como coordenador de área do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) de Pedagogia da UCB. Atua também como mediador voluntário de conflitos no Núcleo de Mediação de Conflitos do Núcleo Bandeirante e do Guará, projeto realizado em parceria pelo Vida e Juventude, MPDFT e CRAS do Guará e Núcleo Bandeirante. 

Referências

AMARAL, Paulo Murilo Guerreiro do. Estigma e cosmopolitismo na constituição de uma música popular urbana de periferia: etnografia da produção do tecnobrega em Belém do Pará. 2009. Tese (Doutorado em Música) – Programa de Pós-Graduação em Música, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

BARRAL, Gilberto Luiz Lima. Espaços de lazer e culturas jovens em

Brasília: o caso dos bares. 2006. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) –

UNB, Brasília, 2006.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 out. 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 20 ago. 2020.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 16 jul. 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm. Acesso em: 20 ago. 2020.

BRASIL. Lei nº. 12.852, de 5 de agosto de 2013. Institui o Estatuto da Juventude e dispõe sobre os direitos dos jovens, os princípios e diretrizes das políticas públicas de juventude e o Sistema Nacional de Juventude - SINAJUVE. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 6 ago. 2013. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12852.htm. Acesso em: 20 ago. 2020.

BRENNER, Ana Karina; DAYRELL, Juarez; CARRANO, Paulo. Juventude brasileira: cultura do lazer e do tempo livre. In: BRASIL. Ministério da Saúde.

Fundação Oswaldo Cruz. Um olhar sobre o jovem no Brasil. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2008. p. 29-44.

BUENO, Marielys Siqueira. Lazer, festa e festejar. CULTUR – Revista de Cultura e Turismo, ano 2, n. 2, p. 1-13, jul. 2008. Disponível em: http://periodicos.uesc.br/index.php/cultur/article/view/235. Acesso em: 20 ago. 2020.

CAMILLO, Marilia. As classes sociais de Karl Marx e os fatos sociais de

Émile Durkheim. 12 abr. 2011. Disponível em: http://mariliacoltri.blogspot.com.

br/2011/04/as-classes-sociais-de-karl-marx-e-os.html. Acesso em: 22 ago 2020.

CAMPOS, Dinah M. S. Psicologia da adolescência: normalidade e psicopatologia. 11. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

DICK, Hilário. O divino no jovem: elementos teologais para a evangelização

da cultura juvenil. Porto Alegre: Instituto de Pastoral de Juventude, Rede Brasileira de Centros e Institutos de Juventude, 2004.

FESTA. Intérprete: Ivete Sangalo. Composição: Anderson Cunha. In: FESTA.

Intérprete: Ivete Sangalo. Sao Paulo: Universal, 2001.

FESTA. In: RODRIGO, Diego; NUNO, Fernando (org.). Mini Larousse dicionário da língua portuguesa. 2. ed. São Paulo: Larousse do Brasil, 2008.

FORACCHI, Marialice. O estudante e a transformação da sociedade brasileira. São Paulo: Nacional, 1965.

FREITAS, Maria Virgínia de. Juventude mapeado a situação. In: BEOZZO, José Oscar (org.). Juventude: caminhos para outro mundo possível. São Paulo: Paulus, 2007.

GROPPO, Luiz Antônio. Juventude: ensaios sobre a sociologia e história das

juventudes modernas. Rio de Janeiro: Difel, 2002.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro:

DP&A, 2005.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. América Latina e os anos recentes: o estudo da recepção em comunicação social. In: SOUSA, Mauro Wilton de (org.). Sujeito, o lado oculto do receptor. São Paulo: Brasiliense, 2002. p. 39-68.

MARTINS, José Clerton de Oliveira. Festa e ritual, conceitos esquecidos nas organizações. Revista Mal-estar e Subjetividade, v. 2, n. 1, p. 118-128, 2002. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/malestar/v2n1/09.pdf. Acesso em: 15 ago. 2020.

PEREIRA, Marcela Andresa Semeghini. Direito ao lazer e legislação vigente no Brasil. Revista Eletrônica do Curso de Direito, v. 4, n. 2, p. 1-17, 2009. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/revistadireito/article/view/7030/4248. Acesso em: 16 ago. 2020

RONSINI, Veneza; OLIVEIRA-CRUZ, Milena de; PREDIGER, Solange. “Malhação identidade”: a interação juvenil na cultura da convergência. Contemporânea - Revista de Comunicação e Cultura, v. 10, n. 2, p. 391-409, maio/ago. 2012. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/contemporaneaposcom/article/view/6069/4397. Acesso em: 16 ago. 2020.

SALEM, Tânia. Filhos do milagre. Ciência Hoje, v. 5, n. 25, p. 30-36, jul./ago.

SANTOS, James Pinheiro dos. A festa na vida do jovem. 2006. Trabalho de

Conclusão do Curso (Especialização em Assessores de Jovens) – Instituto de

Pastoral de Juventude, São Vicente de Minas, 2006.

SANTOS, Vanildes Gonçalves dos. Juventude e gênero na renovação católica em Goiânia. 2009. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – PUC, São

Paulo, 2009.

SIMMEL, Georg. Sociologia. In: MORAES FILHO, Evaristo (org.). Sociologia. São Paulo: Ática, 1967.

SOELA, Vanderlei. Cativados pelo amor: temas de reflexão e vivência entre

os jovens. São Paulo: Paulinas, 2005.

SOFIATI, Flávio Munhoz; DICK, Hilário. Como é ser jovem? O discurso dos

jovens do Cerrado. In: TEIXEIRA, Carmem Lúcia; SILVA, Lourival Rodrigues

da; ALVES, Míriam Fábia (org.). A juventude quer viver: condição juvenil e

redes de proteção em Goiás. Goiânia: PUC-GO/CAJU, 2010.

SOUSA, João Valdir Alves de. A festa e o calendário religioso na demarcação

dos tempos da vida social. In: CONGRESSO LUSO AFRO-BRASILEIRO

DE CIÊNCIAS SOCIAIS, 11., 2011, Salvador. Anais... Salvador, 2011.

TABORDA, Francisco. Sacramentos, práxis e festa: para uma teologia latino-americana dos sacramentos. Petrópolis: Vozes, 1987.

UCB - Universidade Católica de Brasília. UCB Virtual. Curso de pós-graduação

lato sensu em aprendizagem cooperativa na educação básica em estilo salesiano. UEA – Família, Educação e Religião: seu papel na formação de adolescentes e jovens. 2011.

UCB - Universidade Católica de Brasília. UCB Virtual. Curso de pós-graduação

lato sensu em aprendizagem cooperativa na educação básica em estilo salesiano. UEA – Psicologia na Adolescência e Juventude. 2012.

Downloads

Publicado

2021-11-08