Os jovens de Manaus e seu processo educativo no Ensino Médio

Autores

  • José
  • Sandra Colégio Dom Bosco - Manaus

DOI:

https://doi.org/10.22560/reanec.v50i163.363

Resumo

A juventude está em todos os espaços e encontra-se envolta de inúmeros
desafios contemporâneos. Sua complexidade e diversidade atravessam toda e qualquer discussão que tenha como enfoque considerar as possibilidades de discutir e
enfrentar seus desafios, entre os quais a educação. Para tanto, torna-se fundamental
ouvir os jovens e oportunizar suas participações. Desse modo, o que dizem os jovens
diante de seu processo educativo? Diante dessa conjuntura, o artigo em cena procura
analisar o que os jovens de Manaus, estudantes do Ensino Médio, pensam sobre sua
formação. Como estratégia metodológica, utilizou-se de um questionário semiestruturado aplicado a jovens da rede estadual de ensino no decorrer de maio e junho de
2019. Os dados foram organizados a partir da análise de conteúdo em interlocução
com referências teóricas que expressassem as respostas juvenis. Como resultado, observou-se que a escola se constitui em um espaço de construção desse processo, mas
que necessita dialogar e integrar outros espaços, interagindo com outros horizontes,
como a formação técnica e profissional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José

Doutor em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia. Professor do Instituto Federal do Amazonas – Ifam, Campus Manaus Distrito Industrial/Amazonas, Brasil.

Sandra, Colégio Dom Bosco - Manaus

Mestre em Gestão Educacional. Diretora Pedagógica do Colégio Dom Bosco, Manaus.

Referências

AMAZONAS (Estado). Secretaria de Estado de Educação e Desporto. Devolutiva do questionário de escuta. Manaus: SEDUC, 2019. Disponível em:

https://www.sabermais.am.gov.br/pagina/devolutiva-do-questionario-de-escuta. Acesso em: 10 set. 2020.

BANCO MUNDIAL. Competências e empregos: uma agenda para a juventude. Washington: Banco Mundial, 2018.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da

Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União,

Brasília, DF, 16 jul. 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8069.htm. Acesso em: 10 set. 2020.

BRASIL. Lei nº 12.852, de 5 de agosto de 2013. Institui o Estatuto da Juventude e dispõe sobre os direitos dos jovens, os princípios e diretrizes das políticas públicas de juventude e o Sistema Nacional de Juventude - SINAJUVE.

Diário Oficial da União, Brasília, DF, 6 ago. 2013. Disponível em: http://

www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Lei/L12852.htm. Acesso em: 10 set. 2020.

BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis n º 9.394,

de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação

nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e o Decreto-Lei nº 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei nº 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 17 fev. 2017a. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13415.htm.

Acesso em: 10 set. 2020.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017b. Disponível

em: http://download.basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 10 set. 2020.

CANDAU, Vera Maria Ferrão. Direito à educação, diversidade e educação em

direitos humanos. Educação & Sociedade, Campinas, v. 33, n. 120, p. 715-726, 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/phjDZW7SVBf3FnfNL4mJywL/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 10 set. 2020.

CONDÉ, Ágatha Alexandre Santos. Juventude e educação: os sentidos do ensino médio na periferia do Distrito Federal. 2017. 123 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2017.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua - PNAD Contínua, 2019. Disponível em:

https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/pnadca/tabelas. Acesso em: 10 set. 2020.

LEÃO, Geraldo. O que os jovens podem esperar da reforma do Ensino Médio

brasileiro? Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 34, e177494, p. 1-23, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/edur/a/5ZBJkFDW3d6pL9KVFcFCQHx/?lang=pt. Acesso em: 10 set. 2020

LIBÂNEO, José Carlos. Organização e gestão da escola: teoria e prática. 5

ed. Goiânia: Editora Alternativa, 2004.

MOURA, Eliana Perez Gonçalves de; ZUCCHETTI, Dinora Tereza. Educação além da Escola: acolhida a outros saberes. Cadernos de Pesquisa, v. 40, n. 140, p. 629-648, maio/ago. 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/XFVC9wZHQSxmyKnKsFQg39k/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 10 set. 2020.

PEREIRA, Beatriz Prado; LOPES, Roseli Esquerdo. Por que ir à Escola? Os sentidos atribuídos pelos jovens do ensino médio. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 41, n. 1, p. 193-216, jan./mar. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/edreal/a/4Wjh6HbfcdJWnFcWgkRrvYS/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 10 set. 2020.

ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 2014.

Downloads

Publicado

2021-11-08