Educação católica e projeto de vida

percepções de adolescentes do Ensino Médio

Autores

  • Eder

DOI:

https://doi.org/10.22560/reanec.v50i163.375

Resumo

A escola costuma ser um dos principais cenários do processo de desenvolvimento dos estudantes, e, no Ensino Médio, as demandas biopsicossociais da adolescência, como a definição da identidade, a busca de experimentações e a definição do lugar
no mundo, coincidem com o fim da escolarização básica e a necessidade de projeção do
futuro. Como a escola lida com essas questões humanas, educativas, sociais? Este artigo
busca responder a essa indagação a partir da análise parcial de dados coletados em uma
pesquisa de doutoramento sobre o lugar das escolas católicas no cenário educacional
contemporâneo. São priorizadas as percepções dos adolescentes sobre educação escolar, processos de subjetivação e elaboração do projeto de vida, tendo como referência
metodológica a epistemologia qualitativa. Os resultados rompem com a ideia de homogeneidade dos sujeitos jovens e suas percepções sobre a relação entre escolarização,
sentido da escola e opções vitais. Alguns estudantes reconhecem a trajetória na escola
católica como experiência de educação integral e desenham o futuro a partir desse referencial; outros questionam a proposta educativa padronizada e enfocada no ENEM;
também apontam distanciamento entre o espaço-tempo escolar e outras dimensões de
suas vidas; e ainda demonstram dificuldade em atribuir sentido à educação escolar, especialmente no que se refere à definição dos rumos de futuro. A partir do espaço-tempo das escolas católicas, os estudantes problematizam a função social das instituições
educativas contemporâneas, os processos de ensino e aprendizagem e sua contribuição
para a formação dos sujeitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eder

Graduado em Filosofia pela Universidade Estadual de Montes Claros (2005). Pós-Graduado
em Ensino Religioso pela Universidade Católica de Brasília (UCB) (2009) e em Carisma e Princípios Educativos Maristas pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) (2015).
Mestre em Gerontologia pela UCB (2012). Atua na área de formação de colaboradores e educadores, formação de jovens, acompanhamento a organizações eclesiais, planejamento, elaboração
de projetos e acompanhamento a processos e grupos.

Referências

ABRAMO, Helena Wendel. Condição juvenil no Brasil contemporâneo. In:

ABRAMO, Helena Wendel; BRANCO, Pedro Paulo Martoni (org.). Retratos

da juventude brasileira. São Paulo: Instituto Cidadania, Fundação Perseu

Abramo, 2005.

ABRANTES, Pedro. Os sentidos da escola: identidades juvenis e dinâmicas

de escolaridade. Oeiras: Celta Editora, 2003.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade: Entrevista a Benedetto Vecchi. Tradução de

Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 27 set. 2020.

DAMON, Willian; MENON, Jenni; BRONK, Kendall. The development of

purpose during adolescence. Applied Developmental Science, Stanford University, v. 7, n. 3, p. 119-128, out. 2003.

DAYRELL, Juarez. A escola “faz” as juventudes? Reflexões em torno da socialização juvenil. Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, p. 1105-

, out. 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/RTJFy53z5LHTJjFSzq5rCPH/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 27 set. 2020.

DAYRELL, Juarez. A trajetória do Observatório da Juventude da UFMG. In:

DAYRELL, Juarez (org.). Por uma pedagogia das juventudes: experiências

educativas do Observatório da Juventude da UFMG. Belo Horizonte: Maza

Edições, 2016.

DELLAZZANA-ZANON, Letícia Lovato; FREITAS, Lia Beatriz de Lucca.

Uma revisão de literatura sobre a definição de projeto de vida na adolescência.

Interação em Psicologia, Curitiba, v. 19, n. 2, p. 281-292, maio/ago. 2015.

Disponível em: https://revistas.ufpr.br/psicologia/article/view/35218/29361.

Acesso em: 27 set. 2020.

DUBET, François; MARTUCCELLI, Danilo. En la escuela: Sociología de la

experiencia escolar. Buenos Aires: Losada, 2000.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Pesquisa qualitativa e subjetividade: os processos de construção da informação. São Paulo: Pioneira Thomson Learning,

GONZÁLEZ REY, Fernando; MARTÍNEZ, Albertina Mitjáns. Subjetividade: teoria, epistemologia e método. Campinas: Editora Alínea, 2017.

HERNÁNDEZ GONZÁLEZ, Joaquín. La formación de la identidad en el

bachillerato: reflexividad y marcos morales. 2007. Tesis (Doctorado en Ciencias con Especialidad en Investigaciones Educativas) – Instituto Politécnico

Nacional, Ciudad de México, 2007.

INSTITUTO CIDADANIA. Projeto Juventude. São Paulo: Instituto Cidadania,

KESSLER, Gabriel. La experiencia escolar fragmentada. Estudiantes y

docentes en la escuela media en Buenos Aires. Buenos Aires: Unicef, 2002.

KLEIN, Ana Maria; ARANTES, Valeria Amorim. Projetos de vida de jovens estudantes do Ensino Médio e a escola. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 41,

n. 1, p. 135-154, jan./mar. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/edreal/a/

frpccyjHNKGM5sHbg8GvYbt/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 27 set. 2020.

KRAUSKOPF, Dina. La condición juvenil contemporánea en la constitución

identitaria. Última Década, Valparaíso, Chile, n. 33, p. 27-42, dic. 2010. Disponível em: https://revistas.uchile.cl/index.php/UD/article/view/56076/59284.

Acesso em: 27 set. 2020.

PAIS, José Machado. Ganchos, tachos e biscates: jovens, trabalho e futuro.

Lisboa: Âmbar, 2003.

PAVLOVSKI, Evanir. Identidades instáveis: os fragmentos do sujeito moderno. Campinas: Mercado de Letras, 2012.

PEDRAZA DÍAZ, Diana Marcela. Discurso pedagógico en maestros desde

lo enunciado por estudiantes de colegios católicos. Cuadernos de Lingüística Hispánica, Tunja, Colombia, n. 26, p. 199-214, jul./dic. 2015. Disponível

em: https://revistas.uptc.edu.co/index.php/linguistica_hispanica/article/

view/3686/3247. Acesso em: 27 set. 2020.

PEREIRA, Beatriz Prado; LOPES, Roseli Esquerdo. Por que ir à escola? Os

sentidos atribuídos pelos jovens do ensino médio. Educação & Realidade,

Porto Alegre, v. 41, n. 1, p. 193-216, jan./mar. 2016. Disponível em: https://

www.scielo.br/j/edreal/a/4Wjh6HbfcdJWnFcWgkRrvYS/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 27 set. 2020.

RASCOVAN, Sergio Eduardo. Los caminos de la vida. In: KORINFELD,

Daniel; LEVY, Daniel; RASCOVAN, Sergio Eduardo. Adolescentes y adultos

en la escuela: puntuaciones de época. Buenos Aires: Paidós, 2016. p. 241-267.

ROCKWELL, Elsie. Temporalidad y cotidianeidad en las culturas escolares.

Cuadernos de Antropología Social, Buenos Aires, Argentina, n. 47, p. 21-32,

Disponível em: http://revistascientificas.filo.uba.ar/index.php/CAS/article/view/4945/4463. Acesso em: 27 set. 2020.

SANDOVAL, Paula Leiva. Cambios en los referentes para la construcción de

proyectos de vida juvenil. Revista Tendencias & Retos, v. 17, n. 1, p. 93-103,

ene./jun. 2012. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/4929387.pdf. Acesso em: 27 set. 2020.

SPOSITO, Marilia Pontes; GALVÃO, Izabel. A experiência e as percepções de

jovens na vida escolar na encruzilhada das aprendizagens: o conhecimento, a

indisciplina, a violência. Perspectiva, Florianópolis, v. 22, n. 2, p. 345-380, jul./

dez. 2004. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/

article/download/9649/8876/28772. Acesso em: 27 set. 2020

TENTI FANFANI, Emilio. Prólogo. In: KESSLER, Gabriel. La experiencia

escolar fragmentada: estudiantes y docentes en la escuela media en Buenos

Aires. Buenos Aires: Unicef, 2002.

WEISS, Eduardo. Los estudiantes como jóvenes. El proceso de subjetivación.

Perfiles Educativos, Coyoacán, México, v. 34, n. 135, p. 134-148, 2012. Disponível em: http://www.scielo.org.mx/pdf/peredu/v34n135/v34n135a9.pdf.

Acesso em: 27 set. 2020.

ZIEGLER, Sandra. La escolarización de las élites: un acercamiento a la socialización de los jóvenes de sectores favorecidos en la Argentina actual. In: TIRAMONTI, Guillermina (org.). La trama de la desigualdad educativa: Mutaciones recientes en la escuela media. Buenos Aires: Manantial, 2004.

Downloads

Publicado

2021-11-08