Biblioteca escolar:

em busca de um espaço educacional para combater o preconceito racial e o racismo no ensino fundamental.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22560/reanec.v52i165.418

Palavras-chave:

Literatura Infantil. Biblioteca. Preconceito Racial

Resumo

Este artigo tem como propósito avaliar o uso e o acervo da biblioteca escolar em relação à literatura infantil voltada para a temática da africanidade de acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana em uma escola Municipal de Tempo de Integral de Palmas. A pesquisa está baseada em dados bibliográficos, documentais e de campo. O texto está organizado em três subtítulos: a importância da literatura infantil na educação; a literatura infantil e as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana e, por fim, a escola municipal, a literatura infantil e o combate ao racismo. A pesquisa conclui que apesar de haver um número considerável de livros literários voltados para a questão da africanidade na biblioteca, não há incentivo, nem projetos que motivem a leitura e a reflexão sobre a importância da cultura africana e preconceito racial no nosso país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Professor Paulo Fernando, Universidade Federal do Tocantins - UFT

Carioca, ex-aluno do Colégio Pedro II (CP II), Doutor em Educação pela Universidade Federal de Goiás UFG (2011), possui Bacharelado e Licenciatura Plena em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1988), graduação em Pedagogia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1990) e Mestrado em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2002). É Professor da Universidade Federal do Tocantins - UFT, desde 2003, no Curso de Pedagogia e, desde 2013, no Mestrado Profissional Interdisciplinar em Prestação Jurisdicional e Direitos Humanos (Campus Universitário de Palmas). Atualmente, na UFT, exerce a função de Assessor para Assuntos Estratégicos da Reitoria e Primeiro Membro da Comissão de Ética Pública. No período de 2009-2010 exerceu a função de Presidente da Fundação Municipal de Ensino, Ciência e Tecnologia da Prefeitura de Palmas (FMECT/FUPACT); no período de junho de 2012 a março de 2014 desempenhou a função de Diretor Executivo da Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (FAPTO) e Presidente do Conselho Superior da FAPTO no período de abril a outubro de 2014 . No Rio de Janeiro, durante 15 anos, exerceu o cargo de professor na Educação Básica desempenhando diferentes funções (professor regente nas séries iniciais; professor de História no ensino fundamental, médio e pré-vestibular). Na gestão escolar exerceu função de Diretor Geral de Unidade Escolar de Horário Integral (CIEP) da Prefeitura do Rio de Janeiro e atividades técnico-pedagógicas na Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro. No setor privado de ensino lecionou História e desempenhou a função de Coordenador Pedagógico na Educação Básica. Na gestão universitária exerceu a função de Chefe de Gabinete da Reitoria no período de implantação da UFT (2003-2008). No curso de Pedagogia da UFT leciona Fundamentos e Metodologias do Ensino da História, Antropologia & Educação, Educação e Cultura Africana e Afro-brasileira e, na extensão/pesquisa, atua no Núcleo Interdisciplinar de Educação em Direitos Humanos e na Universidade da Maturidade (UMA). Na condição de pesquisador desenvolve estudos sobre as dimensões históricas e políticas dos Direitos Humanos e pesquisas relacionadas ao envelhecimento, trabalho e carreira docente na educação básica sob a ótica dos direitos humanos.

Referências

ABREU, Márcia. Cultura letrada: literatura e leitura. São Paulo: Editora UNESP, 2006.

BECKER, Caroline da Rosa Ferreira; GROSCH, Maria Selma. A formação do leitor através das bibliotecas: o letramento e a ciência da educação como pressupostos. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 4, n. 1, p. 35-45, jan./jun. 2008. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/_repositorio/2010/03/pdf_11e4ab9985_0008550.pdf. Acesso em: 10 ago. 2021.

BRASIL. Lei no 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 jan. 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.639.htm. Acesso em: 10 ago. 2021.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer no 03, de 10 de março de 2004. Dispõe sobre as diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 19 maio 2004. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/cnecp_003.pdf. Acesso em: 10 ago. 2021.

CASTILHO, Suely Dulce de. A representação do negro na literatura brasileira: novas perspectivas. Olhar de Professor, v. 7, n. 1, p. 103-113, 2004. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/1418/1063. Acesso: 10 ago. 2021.

INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Escolar da Educação Básica, 2016. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/censo_escolar/notas_estatisticas/2017/notas_estatisticas_censo_escolar_da_educacao_basica_2016.pdf. Acesso em: 10 ago. 2021.

OLIVEIRA, Alexsandra Flávia Bezerra de; SILVA, José Nogueira da. Literatura Infantil como valorização das africanidades e afrodescendências na escola. In: ENCONTRO NACIONAL DE LITERATURA INFANTO-JUVENIL E ENSINO, 5., 2014, Campina Grande. Anais [...]. São Paulo: Editora Realize, 2014. Disponível em: http://www.editorarealize.com.br/editora/anais/enlije/2014/Modalidade_1datahora_16_05_2014_10_58_36_idinscrito_303_26cb56e8383748e07f3ee70ca8d74de4.pdf. Acesso em: 10 ago. 2021.

PAIVA, Silvia; OLIVEIRA, Ana. A leitura literária na escola. Cuiabá: Universidade Federal do Mato Grosso, 2010.

QEDU. Palmas. 2017. Disponível em: http://www.qedu.org.br/cidade/4250-palmas/censo-escolar?year=2017&dependence=0&localization=0&edu-cation_stage=0&item=. Acesso em: 10 ago. 2021.

RBE - Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro: ANPED, 2018. Disponível em: http://www.anped.org.br/site/rbe/rbe. Acesso em: 10 ago. 2021.

SILVA, Carolina da. A biblioteca escolar e a formação do leitor nos anos iniciais do Ensino Fundamental. 2015. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso em Pedagogia) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2015. Disponível em: http://www.uel.br/ceca/pedagogia/pages/arquivos/2015%20ANA%20CAROLINA%20DA%20SILVA.pdf. Acesso em: 10 ago. 2021.

SOARES, Antônio Jorge. Velhos esportistas: utilidade e estética. Motus Corporis, Rio de Janeiro, v. 4, n. 2, p. 102-120, 1997.

Downloads

Publicado

2022-06-28