n. 13 (7): Evangelização, pastoral e arranjos curriculares

					Visualizar n. 13 (7): Evangelização, pastoral e arranjos curriculares

As “Linhas de Ação Pastoral da ANEC” recordam que a preocupação pastoral sobre o currículo por parte das instituições confessionais deve-se ao fato de que nele se expressa a identidade da instituição. Os currículos são “documentos de identidade” que contêm visões de mundo, concepções antropológicas e opções políticas. De forma geral, os currículos têm se transformado, no Brasil, desde a promulgação
da BNCC, em 2017, e têm sido remodelados a partir da concepção de habilidades e competências. Também emerge a questão do novo Ensino Médio, com a necessidade de integrar os itinerários formativos e de se incluir processos mais explícitos de construção do projeto de vida. O currículo evangelizador, segundo o parágrafo 329 do Documento de Aparecida, é aquele que “humaniza e personaliza o ser humano quando consegue que este desenvolva plenamente seu pensamento e sua liberdade”. Isto significa que, mantendo sua identidade, a instituição católica de ensino abre-se ao diálogo intercultural, comprometida com os “valores éticos e a dimensão de serviço às pessoas e à sociedade”, sendo testemunha autêntica de Jesus Cristo, visto que valoriza e enobrece a pessoa e sua cultura.

Publicado: 2022-08-31

Edição completa